Após falha em vacina em idosa Ministério Público pede investigação policial para compra ilegal de vacina em Três Lagoas

O caso da senhora que não recebeu a vacina em Três Lagoas em 30 de março, que foi  denunciado pela vereadora Sayuri Baez tomou uma enorme proporção chamando a atenção do Ministério Público que investigou o caso e agora pede auxílio policial para investigar suposta compra de vacina por um advogado da cidade. Este caso foi divulgado pelo site Campo Grande News que trouxe o posicionamento do MPE (Ministério Público Estadual).

Segundo o site da Capital no mesmo dia, o MPMS anunciou que encaminharia pedido para abertura de inquérito policial, que corre em sigilo, mas que averigua também a compra por advogado da cidade, pelo valor e R$ 1,5 mil, de duas doses de vacina, possivelmente, a que seria aplicada na vítima.

Segundo o Ministério Público, os suspeitos, inclusive, admitiram ter furado a fila. Um dos investigados é advogado na cidade. “Há pessoas informando que adquiriram a vacina e foram imunizados na cidade, fora dos grupos de risco ou prioritário”.

O homem teria afirmado que “pagou R$ 1.500,00 por duas doses de imunizante já tendo recebido a primeira”, sustenta o promotor da 9ª Promotoria de Justiça de Três Lagoas, Luciano Anechini Lara Leite.

Em ofício endereçado ao delegado regional da Polícia Civil no município, Rogério Fernando Makert Faria, o promotor pede a abertura da investigação em âmbito policial, que será acompanhada pelo ministério.

O caso está sendo apurado como tentativa de homicídio praticada por servidor público municipal, já que este, “valendo-se de sua condição, deixou de aplicar regularmente o imunizante em pessoa da faixa de risco e de  atendimento prioritário, assumindo o risco dessa pessoa contrair doença potencialmente fatal”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *