CHAPA DE TRÊS LAGOAS PARA OAB NÃO DÁ O EXEMPLO

No dia 20 de outubro se encerrou o prazo das inscrições das chapas interessadas na presidência e vice-presidência da OAB MS e subseções em todo o Estado. Sendo que dentre as chapas das seccionais e das sete principais subseções (Corumbá, Três Lagoas, Dourados, Ponta Porã, Paranaíba, Nova Andradina, Naviraí e Coxim), Três Lagoas foi a única a ter uma chapa que não deu o exemplo da paridade, na presidência e vice-presidência.
As eleições da entidade serão realizadas em 19 de novembro e na ocasião será eleita a diretoria executiva e conselho consultivo da entidade.
Foram registradas duas chapas sendo uma encabeçada pelos advogados Rodrigo Sirahata (presidente) e Isabelly Staut (vice-presidente) e a outra formada pelos Advogados Thiago Vinicius Martinho (presidente) e Marcos Vinicius Akamine (vice-presidente). Esta última foi a que não deu exemplo.
A presente eleição marca a entrada em vigor da Resolução 5/20, que altera o Regulamento Geral do Estatuto da Advocacia e da OAB e estabelece o percentual de 50% para candidaturas de cada gênero, sendo que tal medida busca fomentar o protagonismo feminino na tomada de decisões da entidade.
Contudo, chama atenção o fato da chapa encabeçada por Martinho, não dar o exemplo e fazer constar uma mulher na presidência/vice-presidência, situação inclusive que não foi observada nas principais subseções espalhadas pelo Estado de Mato Grosso do Sul e que sem sombra de dúvidas está na contramão da própria resolução que acertadamente busca garantir o direito das mulheres a ocuparem cargos que historicamente foram ocupados por homens.
Importante ressaltar, que a presença da mulher e de um homem na presidência demostra o equilíbrio entre os gêneros e ainda o respeito.
As mulheres sempre devem estar onde querem. E portanto, a presença dela na presidência/vice presidência de um entidade tão respeitada quanto a Ordem dos Advogados do Brasil traz a harmonia e paridade que tanto se busca.
MULHERES SÃO MAIORIA.
Atualmente o número de advogadas já é maior que o número de advogados no Brasil. Os dados constam no quadro da advocacia mantido pelo Conselho Federal da OAB que apresenta números totais e por estado.
De acordo com a última atualização realizada em 2020, o número de advogadas era de 610.369 e de advogados 610.207, sendo a primeira vez na história que as mulheres representam a maioria dos profissionais da advocacia brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *