Davis faz denuncia e parte para cima dos “mandos e desmandos” da administração atual

Na sessão ordinária da Câmara de Três Lagoas da última Segunda-feira (12), foi bastante agitada e trouxe à tona a falta de comunicação do executivo com o legislativo e o problema que vereadores enfrentaram ao tentar visitar a antiga “Fazendinha”, para verificar a possibilidade de usar o local como um ponto de apoio como “hospital de campanha do covid19”, em Três Lagoas.

O episódio que se tornou “piada”, ocorreu devido a proibição e a falta de liberação vinda do secretário de administração do prefeito Angelo Guerreiro, sem contar a forma que os vereadores presentes haviam sido tratados na última semana durante a tentativa da visita, que irritou o vereador Davis Martinelli (DEM), que pediu abertura de uma investigação no local com urgência e esbravejou desabafando o descontentamento com a atual administração.

Davis explicou que durante a visita, além dele estavam as vereadoras: Charlene Bortoleto, e Sayuri Baez.  E que queria apenas visitar o local, mas diante sua segunda tentativa, pois em outro ano de seu mandato também havia sido impedido de adentrar no local esbravejou: “Eu queria visitar o local, agora quero fiscalizar, porque deve ter algo de errado, se não houver crime algum ou algo errado há, porque tentaram nos tolir do direito do vereador que é de fiscalizar e adentrar?”gritou durante sua fala na sessão transmitida de forma remota.

Ele ainda explicou que quando estavam na portaria, ele ligou para o secretário Leonel que de forma desrespeitosa o acusou de querer fazer “politica”. “Ele na hora gritou e disse para mim que se eu queria fazer politica com a minha ida ali, ele ia me ensinar”, contou Davis.

A autorização solicitada pelos vereadores no dia do ocorrido até a última segunda (12), 5 dias depois , não tinha sido respondida.

Na sessão o líder do prefeito, vereador Tonhão (MDB), tentou explicar a suposta explosão do secretário de administração e tentou justificar que há um tempo de análise para o pedido.

Mas devido a demora e a falta de comunicação e acesso do legislativo com o executivo, o problema veio à tona que tem sido uma pedra no sapato para os vereadores que estão tentando realizar o trabalho.

Ainda durante a sessão foi lembrado que era um pedido do próprio prefeito Angelo Guerreiro, a parceria do legislativo. Durante uma visita na Casa de Leis, segundo depoimento da vereadora Sayuri Baez ele teria pedido a ajuda dos parlamentares em visitar e fiscalizar as obras e os locais da cidade, mas que estão sendo repetidamente impedidos por secretários do executivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *