Empresa citada por líder do prefeito responde aos ataques da última sessão da Casa de Leis

Na última sessão que foi extraordinária na Casa de Leis de Três Lagoas e ocorreu na última segunda-feira (12),  foi lido o pedido de uma CI (Comissão investigativa) e o afastamento do prefeito Angelo Chaves Guerreiro (PSDB), feito pela vereadora Sayuri Baez (Republicanos), mas que o pedido acabou sendo arquivado pela maioria dos vereadores que fazem parte da aliança com o executivo.

A leitura do pedido agitou a sessão e causou desconforto para os parlamentares aliados ao prefeito como vistos pela reação e falas dos vereadora Tonhão (MDB), líder do prefeito na Casa de Leis e também pelo ex-presidente da Casa de Leis André Bittencourt. E um dos pontos altos foi quando o vereador Tonhão citou de forma agressiva a empresa que levou à Justiça as supostas irregularidades de um possível esquema do lixo, que perpetua há ano na cidade de Três Lagoas.

Com tom alto e descontrolado o líder do prefeito que ali parecia se colocou como advogado, mais do que legislador citou: “O procedimento licitatório foi feito em 2017, e foi aberto uma CPI por parte de algumas pessoas que sabemos muito bem qual era a finalidade de contrato emergencial do lixo na cidade.Isto aconteceu no inicio do mandato do guerreiro na cidade em 2017, a comissão viu que não havia ato de improbidade alguma por parte do prefeito e pediu que fizesse o processo licitatório e que foi feito, senhores vereadores procedimento licitatório e empresas entraram na justiça com o pedido de mandato de segurança e as pessoas não sabem que é válido vários tipos de recursos e tem vários recursos que não compete ao prefeito dar canetada e falar o melhor preço. A empresa tem que se manifestar e quem dá o fim é a Justiça. Foi feito um novo processo licitatório porque não poderia ficar sem a coleta de lixo e em seguida em 2018 o Ministério Púbico pediu que a Câmara abrisse a investigação novamente sobre o processo do lixo. A Comissão apurou tudo e foi o Sargento Rodrigues que pediu que fosse aberto um novo processo licitatório para dar fim a esta situação criada por empresas que querem tumultuar o processo sem provas concretas em 12 de novembro de 2018 e em abril de 19 foi feito trazendo empresas de fora do Estado e a Kurika que causou tumulto e transtorno no passado sequer participou, senhores!”, enfatizou o vereador líder do prefeito, Tonhão (MDB).

O site entrou em contato com a empresa KURIKA citada pelo vereador e colocada como a causadora do “tumulto”, para que ela se colocasse diante da suposta acusação citada na sessão da Casa de leis. A resposta foi a seguinte nota pública:

 

NOTA PÚBLICA

A Kurica Ambiental S.A é empresa situada no Município de Londrina-PR e com atuação em diversos outros municípios, em especial nos Estados do Paraná e Mato Grosso do Sul, empresa esta especializada na gestão de resíduos sólidos, urbanos, comerciais e industriais, e neste segmento têm desenvolvido trabalhos de excelência, oferecendo eficiência e segurança aos nossos clientes.

Em data de 12 de julho de 2021, na última sessão realizada na Câmara de Vereadores da Cidade de Três Lagoas, ocasião que foi debatido a representação firmada pela Vereadora Sayuri Baez (REPUBLICANOS), para que fosse aberta investigação contra o Prefeito Municipal para apurar responsabilidade acerca dos atos relacionados aos contratos de coleta de lixo desta cidade.

A despeito deste recente caso, percebe-se que o sistema de proteção e blindagem da gestão municipal contra estas denúncias, bem como de inúmeras outras que já passaram por esta Casa de Leis, é tamanho que tais denúncias foram e sempre serão sumariamente arquivadas. Não é novidade nem qualquer surpresa, embora totalmente vergonhosa perante a população três-lagoense.

Ocorre que, por ocasião dos debates, esta empresa fora diversas vezes citada por alguns dos vereadores que formam a base de defesa e proteção do Prefeito Municipal nesta casa de Leis.

Em primeiro, importante anotar e levar ao conhecimento público que as supostas investigações feitas pela Câmara de Vereadores nos anos de 2017 e 2018, a primeira presidida pelo Vereador Sargento Rodrigues e a segunda pelo Vereador Gilmar Garcia Tosta, só ocorreu por ORDEM DO PROMOTOR DE JUSTIÇA – Dr Fernando Marcelo Peixoto Lanza, titular da Promotoria de Patrimônio Público de Três Lagoas.

Não fossem as duas recomendações administrativas expedidas pelo citado promotor, nunca nenhuma investigação jamais seria sequer aberta.

Tal fato comprova, por si só, que há muito tempo a maioria dos Vereadores que compõe esta Casa tem ostensivamente se omitido quanto ao seu dever de fiscalizar a gestão pública municipal. Este dever é obrigação legal, funcional e incide a todos os Vereadores, independentemente de seu partido ou aliança política.

Infelizmente, para enorme prejuízo da população três-lagoense, não houvesse tamanha omissão quanto ao dever de investigar, certamente esta casa já teria contatado inúmeras irregularidades praticadas pela Prefeitura Municipal. Teriam facilmente encontrado o que o Promotor de Justiça encontrou e que amparou a Ação Civil Pública milionária ajuizada contra o Prefeito Ângelo Guerreiro e seus secretários.

Infelizmente, enquanto diversas ações tramitam na justiça, todos os dias as ilegalidades se perpetuam, tudo debaixo dos olhos de grande parte dos Vereadores, que persistem em se omitir de fiscalizar a gestão pública como se deveria.

Basta uma simples leitura do relatório de arquivamento elaborado pelos então Vereador Gilmar Garcia Tosta para se comprovar, pelo que está escrito no seu próprio texto, que não foi realizada nenhuma investigação detalhada do caso, tendo aquele vereador afirmado expressamente em seu relatório que “não tive o poder de instrução do feito, já que não era membro titular da C.I, e as deliberações da fase instrutória foram produzidas pelos membros titulares da época. Portanto, tenho que me ater às provas produzidas”.

É este absurdo que foi registrado no citado relatório!

Enquanto não se realiza qualquer mínima investigação sobre a conduta da administração, os prejuízos ficam para a conta da população. A defesa leonina e incondicional do Prefeito Municipal feita por alguns vereadores desta casa, é, talvez, mais grave do que os próprios atos ilícitos praticados, posto que ao descumprir com seu papel funcional, pagos pelo povo para uma função que não o fazem, ainda acabam por legitimar e deixar campo aberto para todo o tipo de irregularidade.

Por fim, a Kurica Ambiental esclarece que não participa de nenhum processo em que haja flagrante cartas marcadas, tal como ocorreu no último processo licitatório, processo este ainda sob investigação do Tribunal de Contas do Estado e da Justiça.

Cedo ou tarde, a justiça aplicará aos responsáveis, bem como a todos aqueles que se omitiram, todas as responsabilidades.

Três lagoas, 16 de julho de 2021.

KURICA AMBIENTAL S.A

 

A redação procurou o vereador líder do prefeito Tonhão (MDB) , que até o fechamento desta matéria não atendeu a ligação. Espaço aberto para reposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *