Governador anuncia “Mais Social”que complementará com R$200 reais a renda da baixa população

O projeto que cria o programa de segurança alimentar “Mais Social” no MS, foi aprovado nesta quarta-feira (31), de forma unânime, na Assembleia Legislativa. A proposta apresentada pelo governador Reinaldo Azambuja visa atender até 100 mil famílias de baixa renda no Estado, com benefício mensal no valor de R$ 200,00. Já contemplando os que recebem assistência de outros programas assim como ampliará os cadastros.

A proposta foi enviada ontem (30) pelo governador para Assembleia e nesta quarta-feira (31) ela passou por duas votações, inclusive com sessão extraordinária, tendo apoio de todos os parlamentares. Como não houve apresentação de emendas, a matéria já segue para sanção do governador.

Os deputados elogiaram a ação do governador, ressaltando que neste momento de pandemia, onde muitos perderam ou tiveram redução da renda, um programa estadual como este é essencial. “Sempre confiamos na gestão do governador (Reinaldo Azambuja) e ele novamente demonstra o cuidado com a população do Estado”, disse o deputado Eduardo Rocha.

O presidente da Assembleia, o deputado Paulo Corrêa, destacou a cooperação dos parlamentares, que avaliaram a matéria em duas votações, que entenderam a importância da proposta. “Deixo aqui meu carinho e satisfação e estar aqui nessa votação do programa que irá atender as famílias mais carentes do Estado”.

O programa “Mais Social” terá caráter permanente, com a expectativa de atender cerca de 100 mil famílias, que vão receber cartões exclusivos, cada um com valor de R$ 200/mês para compra de alimentos e produtos de higiene pessoal. Estão proibidas a compra de bebidas alcóolicas e produtos à base de tabaco, sob pena de exclusão do beneficiário do programa.

O novo programa vai ampliar a cobertura que já era feito pelo “Vale Renda”, que hoje atende 30 mil famílias, com o valor de R$ 180,00. As famílias que já eram beneficiadas serão transferidas gradativamente para o “Mais Social”.

A previsão da administração estadual é desembolsar R$ 182 milhões por ano com o novo programa. Entre os critérios para a inclusão no programa estão ter renda familiar de meio salário e crianças matriculadas e com frequência regular na escola. Famílias com idosos terão prioridade no acesso ao programa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *