PGE elege corregedores através de reunião extraordinária virtual

Na manhã desta quarta-feira (23.3) foi realizada reunião extraordinária do Conselho Superior da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) para eleição dos corregedores da instituição. Desde o início da pandemia do novo coronavírus os encontros são virtuais.

O período para inscrição nas funções ocorreu em fevereiro. De acordo com o edital publicado no Diário Oficial do Estado, a nova gestão será de 1º de abril de 2021 a 31 de março de 2023 e só puderam se inscrever os procuradores do Estado de Categoria Especial interessados em desempenhar as atribuições que competem ao ofício.

Atualmente as funções de Corregedor e Corregedor-Adjunto são ocupadas pelos procuradores do Estado Carla Cardoso Nunes da Cunha e Rômulo Augustus Sugihara Miranda, respectivamente. Os mesmos foram reeleitos para mais uma gestão.

A Corregedoria-Geral da PGE é o órgão superior da instituição, encarregada da orientação e fiscalização das atividades funcionais e da conduta dos procuradores do Estado, procuradores de Entidades Públicas e advogados integrantes da carreira Assistência Jurídica. Além da orientação, supervisão e fiscalização das atividades funcionais dos órgãos e agentes que desempenham funções jurídicas, detém a competência em relação à função Ouvidoria, estando integrada ao sistema e-OUV, bem como ao Plano de Gestão de Desempenho Individual (PGDI) da PGE, promovendo o acompanhamento de todas as suas fases.

“Resolvi me candidatar à reeleição para dar continuidade ao trabalho que se iniciou há dois anos. Nosso objetivo aqui na Corregedoria é trabalhar de forma proativa, preventiva e colaborativa sem se olvidar da função de fiscalização e repreensão. No início, tivemos um período de adaptação por se tratar de um trabalho totalmente diferente do que fazíamos, mas durante a nossa gestão fizemos um trabalho diferenciado nas correições, ouvindo todos os servidores e procuradores do Estado para, com isso, ajudar os setores nos pontos de melhoria e trazendo novas ideias e soluções que poderiam otimizar o trabalho dos procuradores e da equipe”, afirma o corregedor-Geral Adjunto, Rômulo Miranda, sobre a postura da equipe nos trabalhos que vem realizando nos setores da instituição.

Já a corregedora-Geral, Carla Cardoso, relata sobre o desafio e a satisfação de estar à frente do setor. “Poder colaborar com a instituição com um trabalho que procura com toda a seriedade e comprometimento buscar um equilíbrio, uma padronização, uma celeridade, ou seja, tudo que leve a PGE a apresentar um resultado de real eficiência e que possa auxiliar para o alcance da missão da Procuradoria, que é a representação do Estado na defesa do interesse público, é muito satisfatório, é uma honra. Recebermos este voto de confiança dos colegas é um aval imensurável. Queremos colocar uma carreira para trabalhar da melhor forma possível, tirando de cada procurador o melhor que eles têm a oferecer e contribuir para estruturar nossa carreira, cuidando da PGE para chegarmos o mais próximo do ideal com o compromisso de deixar, no final deste segundo mandato, a estrutura tanto da instituição quanto do setor da melhor forma possível”, finaliza lisonjeada com o desafio dos próximos anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *