Representantes do Comitê de Enfrentamento falam durante a sessão ordinária explicando sua função na cidade

A presidente do Comitê de Saúde de Três Lagoas, Angelina Zuque esteve durante a sessão ordinária desta segunda (26), falando sobre o Coronavírus no município. Ela começou fazendo um histórico da doença e após explicou como funciona os critérios do Comitê de Saúde contra o Covid 19.

Ö número de pacientes ativo é um numero interessante pq um percentual dele, precisará de atendimento hospitalar. Vou passar alguns números para que todos acompanhem e avaliem em 2020 durante o ano todo tivemos 60 óbitos e 2021 em quatro meses 120 óbits confirmados e mais 13 suspeitos que aguardam o resultado. Isto chama nossa atenção, pq são pessoas perdendo a vida para a Covid e 2024 casos ativos, aproximadamente 3 mil doentes que podem necessitar de hospitalização. o hospital auxiliadora hoje está com 100% dos leitos de UTI ocupados e na CASSEMS 108% dos leitos de UTI. Estes pacientes precisam do atendimento e temos que fazer a avaliação da situação que a cidade se encontra. o que precisamos fazer? A falta de leitos de UTI é grave, mas também necessitamos leitos de enfermaria. Então o Comitê está discutindo como equilibrar economia e Saúde. Elas estão correlacionadas.

Destacou sobre o uso de máscara, distanciamento e higienização das mãos, são fundamentais. As vacinas também hoje são fundamentais. Angelina Zuque resumiu a função do Comitê.

O promotor Cassaroto também falou durante a sessão e destacou sobre os últimos quatro meses que estão sendo mortal. “É fácil achar culpados, mas queremos achar soluções. O Comitê é uma obrigação diante da Pandemia para orientar a administração, está há um ano envolvido com diversas entidades. Este Comitê nã decreta nada, é um Orgão de orientação, apenas o prefeito decreta. É importante entenderem que há mais de um ano estão trabalhando e em 2020 a cidade foi exemplo com 6 mil casos e 80 mortes durante os últimos 11 meses. Não podem esquecer do trabalho realizado. Infelizmente hoje a segunda onda devastadora e os Estados foram pegos de surpresa o que aconteceu nos últimos meses aqui sem tal estrutura diante da 2 onda da doença. É importante que os vereadores entendam como funciona o trabalho do Comitê. Pedimos a compreensão e que o Comitê não tem a última palavra. O Ministério Público não se restringe ao Comitê e trabalha na pandemia atuando com cobranças de leitos dentre outras fiscalizações.”destacou o promotor.

O vereador Paulo Veron logo após as falas das autoridades pediu para falar destacando “O Comitê tem uma função muito importante, é uma parte técnica mas é quem orienta e decide a melhor conduta do gerenciamento desta pandemia na cidade. Queria pedir em nome da Associação médica, que há um ano incluam a presença de um médico no Comitê, talvez devido algumas colocações, ms acreditamos que a participação do médico é importante agora neste ciclo da doença que vem particularidades e poderão somar. A associação médica pleiteia uma participação e eu peço que revejam. “, explicou o médico e vereador Paulo Veron.

Dentre os que se manifestaram o vereador Nego Breno disse que não ficou claro sobre quem é soberano nas decisões e também destacou sobre a demora dos testes do COVID19 na cidade. E pediu uma posição ao Comitê.

Mas o presidente da Casa pediu ordem e os representantes do Comitê não se manifestaram sobre as dúvidas levantadas.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *