Agepen passa a divulgar boletins atualizados do COVID-19 no sistema prisional do MS

O Comitê de Gestão e Acompanhamento da Medidas de Enfrentamento à Covid-19 da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) começou a divulgar, a partir desta segunda-feira (20), dados atualizados sobre os números de casos confirmados de contaminação por coronavírus entre custodiados e servidores do sistema prisional de Mato Grosso do Sul.

Segundo o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, a medida tem por objetivo proporcionar maior transparência ao assunto e evitar que informações equivocadas sejam disseminadas.

Diretores das unidades prisionais e servidores por eles designados estão responsáveis por abastecer os dados diariamente no Sistema de Informações Penitenciárias (Siapen), que gera um relatório, elaborado pela equipe de servidores que administra o Siapen.

Esse acompanhamento já vem sendo feito há algum tempo e agora, com dados consolidados, será disponibilizado no site da Agepen um fluxograma com a compilação das informações dos casos positivos (em tratamento e já curados) sendo separados por custodiados, monitorados por tornozeleira eletrônica e servidores.

Os boletins serão divulgados todas as manhãs dos dias úteis com informações referentes ao fechamento do dia anterior. Apenas nas segundas-feiras serão divulgados dados da sexta-feira anterior.

Conforme orientação do comitê, os familiares dos internos com casos confirmados estão sendo informados pelas direções dos presídios. Todos os custodiados que testam positivo são isolados do restante da massa carcerária e os servidores afastados do serviço, com os devidos cuidados de saúde necessários, até que sejam curados.

Desde o início da pandemia, várias medidas têm sido adotadas com uso constante de Equipamentos de Proteção Individual pelos policiais penais, além de fornecimento de máscaras aos internos. Também é realizada a desinfecção constante do ambiente e são disponibilizados materiais para higienização das mãos; além das visitas estarem suspensas desde março, assim como nos demais presídios do Estado, entre outros procedimentos.

Hoje são 96 casos confirmados, sendo 27 servidores, 60 detentos e 9 monitorados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *