Salas digitais conquista alunos e monitores em Guia Lopes da Laguna

Em Guia Lopes da Laguna, cidade localizada há 230km da Capital, crianças e monitores estão aproveitando os recursos fornecidos pelo Governo do Estado, para que os alunos permaneçam estudando durante a pandemia do Covid-19.

As salas de tecnologia são resultados do projeto Tecsocial – Projeto Tecnologias Sociais para o Desenvolvimento de Territórios da Cidadania de MS – TECSOCIAL, aprovado junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC e FINEP, coordenado desde 2011 pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por intermédio da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

“A internet é fundamental para todas as pessoas e criamos essas salas digitais justamente para poder dar a oportunidade de estando no assentamento poder enxergar o mundo. O resultado está chegando com boas notícias de famílias sabiamente usando a tecnologia para crescer. É a ciência e a tecnologia contribuindo para a melhora na qualidade de vida das pessoas”, afirma o secretário titular da Semagro, Jaime Verruck.

O objetivo é viabilizar, em assentamentos e aldeias indígenas, o acesso às tecnologias digitais de informação e comunicação, e também como meio de promover inclusão social através do processo de educação para formação geral de toda a comunidade, além de estimulo ao associativismo e cooperativismo, aplicação de tecnologias para aumento da geração de renda nos processos de produção, utilização/participação em políticas públicas, entre outras.

Atualmente a Rede é composta de 9 (nove) centros de inclusão digital, sendo 05 localizados em assentamentos rurais e 04 localizados em aldeias indígenas.

Para a coordenadora de Ciência e Tecnologia da Semagro, Marina Dobashi, a iniciativa vem em tempo oportuno já que os alunos precisam do acesso ao conteúdo escolar, em forma digital. “Nos adaptamos para que a atual realidade não prejudique os alunos. A ideia é atender acadêmicos e alunos que estão estudando via EAD neste período de combate ao coronavírus e que não tem acesso à internet em casa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *