Capitão Contar segue o líder e aguarda decisão de Bolsonaro sobre partido

O deputado Capitão Contar (PSL), reforçou nesta terça (12), à população de Mato Grosso do Sul que seguindo o alinhamento com o presidente, Jair Bolsonaro, com o qual esteve na semana passada, irá seguir seu líder diante de uma fusão entre partidos ou na criação de uma nova sigla, atendendo assim o que define a legislação brasileira.

O parlamentar, de maneira responsável, declara que qualquer ação demanda respaldo jurídico e deve ocorrer de acordo com a lei, e que como ficou convencionado em encontro com o presidente Bolsonaro e com a senadora, Soraya Thronicke, que aguardará alinhamento e direcionamento.

“Qualquer coisa diferente disso é discurso fácil de quem quer enganar a população. Minha decisão é baseada na lei. O resto é mentira! E mais: tenho total gratidão com o PSL, no qual sou presidente do diretório municipal, mas sou 100% Bolsonaro. O meu compromisso é o Brasil!”, frisa.

Capitão Contar acrescenta que em Mato Grosso do Sul os que têm a intenção de serem pré-candidatos a vereadores e prefeitos atendem os valores definidos por Bolsonaro, assim como os do próprio deputado, relacionados ao combate à corrupção e ter ética na política, transparência na gestão pública, valores ligados à família, entre outros.

Contar destaca que o Fundo Partidário é o assunto que menos o preocupa em relação à atual decisão. “Eu fui eleito sem o uso deste Fundo, obtive o maior número de votos, não fiz coligação alguma, não usei estrutura do Governo e utilizei recursos próprios, com menor custo por voto, em uma campanha transparente e com o compromisso com meus eleitores. Ou seja, ZERO preocupação com o Fundo Partidário”.

Por último, o deputado estadual pede aos sul-mato-grossenses cautela diante de informações que fogem da realidade. “O Bolsonaro por ser presidente tem a prerrogativa de poder sair do partido. O parlamentar não, por seguir o estatuto e a lei, não pode tomar a mesma decisão, uma vez que o mandato é do partido e não dele. Com isso, muitos poderão permanecer no PSL e isso, de modo algum, significa ser contra o Bolsonaro, muito pelo contrário”, explica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *