Presidente da Casa de Leis tem seu nome envolvido em “esquema” da Guarita de ouro

ARTIGO

Retrospectiva  mandato Câmara TRÊS LAGOAS

2017 – 2020

Em setembro de 2018 o presidente da Casa de Leis, André Bittencourt (PSDB), esteve envolvido em uma denuncia de gastos públicos referentes a obra da guarita da casa de Leis que veio a tona com a matéria de uma rádio que trouxe o escândalo.

Na época, apesar de ter afirmado na Tribuna da Câmara de Três Lagoas que gastou cerca de R$ 48 mil na obra, o custo final foi de mais de R$ 67 mil, o que causou estranheza em cidadãos três-lagoenses que desconheciam os valores da guarita.

Ao se defender, André Bitencourt confessou, em plena tribuna, ter gastado cerca de R$ 48.000,00 para a construção da guarita, o que não é verdade, pois o gasto publicado foi de exatos R$ 67.047,70, uma vez que houveram dois aditivos de R$6 mil reais totalizando R$12 mil reais além dos R$55 mil previstos através da Tomada de Preços 01/2017 e Processo 144/2017, a Câmara Municipal de Três Lagoas, por meio do senhor presidente André Bitencourt, contratou a empresa Construtora Jupiá Ltda. para fazer o “serviço de execução de obra de uma guarita na Câmara Municipal de Três Lagoas, conforme memorial descritivo, cronograma físico-financeiro, memória de cálculo, planilha orçamentária e projetos técnicos”.

Pela execução do contrato a Construtora Jupiá recebeu o valor de R$ 55.047,70, segundo pode se constatar no termo de adjudicação e homologação da licitação que foi assinado pelo presidente André Bitencourt no dia 20 de novembro de 2017. Já a homologação do processo licitatório foi publicada no Diário Oficial dos Municípios do Estado de Mato Grosso do Sul no dia 21 de novembro do ano passado.

Mas o custo final da guarita famosa da Câmara Municipal de Três Lagoas não ficou só nisso, não. Posteriormente, no dia 20 de dezembro de 2017, a Mesa Diretora da Câmara Municipal, tendo André Bitencourt como presidente e ordenador de despesas, assinou contrato com a empresa Wenzel Arquitetura, Projetos Técnicos e Consultoria Ltda., contratando seus serviços cujo objeto do contrato, com valor de R$ 6.000,00, era nada mais nada menos do que “acompanhar a construção da guarita da Câmara Municipal de Três Lagoas”, além de mais R$6 mil reais para o engenheiro. o caso foi parar no Ministério Público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *