Educadores paralisam nesta quarta e quinta em Três Lagoas contra medidas do Governo

Nos dias 2 e 3 de outubro, os Trabalhadores da Educação da Rede Estadual entrarão em paralisação contra o Governador Reinaldo Azambuja e a Secretaria Estadual de Educação pelo descaso com a Educação Pública e com os(as) Profissionais em Educação de Mato Grosso do Sul. Em Três Lagoas a categoria anunciou protesto em frente do SINTED nesta manhã (2).

A classe trabalhadora da educação reivindica: Realização do Concurso Público; Isonomia salarial entre Convocados e Efetivos; Eleições diretas para Diretores; Chamada do Concurso dos Administrativos/Professores; Política salarial para os Administrativos; e contra Militarização nas escolas públicas.

A Educação Pública de Mato Grosso do Sul tem sofrido ataques do governo estadual, levando uma queda na qualidade das escolas públicas, que atende mais de 80% da população sul-mato-grossense.

Veja os retrocessos:

  1. Reduziu o salário dos professores convocados em 33%, podendo levar a queda da qualidade do ensino.
  2. São mais de 9 mil professores convocados temporários. É urgente a realização de um Concurso Público.
  3. Faltam 1.200 Trabalhadores Administrativos (Merenda, Limpeza, Inspetores, entre outros). É urgente a chamada dos Concursados!
  4. O Governo Azambuja está fechando as escolas sem dialogar com a comunidade.
  5. Quer acabar com as eleições diretas para Diretores.  A comunidade não poderá escolher seus diretores e somente políticos poderão indicar um diretor.  É o fim da Gestão Democrática!
  6. Alinhado ao Governo Federal, a Secretaria de Educação poderá entregar à Polícia Militar a direção das escolas. Os militares não são formados para atuarem na educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *