Filha de Angela Jorge emocionada fala da falta da mãe neste um ano após seu assassinato

O grupo “Mulheres em Ação”, saiu ontem para anunciar o nascimento deste grupo que pretende trazer a tona temas que a sociedade necessita se envolver mais, como o caso dos feminicídios que voltaram a crescer em Três Lagoas.

Há um ano, outra morte que chocou a comunidade, foi o assassinato de Angela Jorge, vítima do namorado que a coagia e a mantinha presa em um relacionamento abusivo e que terminou com a morte dela.

A filha esteve no evento realizado na praça do Obelisco, em Três Lagoas no final do dia da última quarta-feira (25), e falou emocionada sobre a ausência da mãe neste último ano e que os filhos não conheciam nada sobre o lado abusivo que ela vivia.

Emocionada falou sobre a importância das mulheres falarem e se mobilizarem sobre o tema e que lamenta não ter conseguido evitar esta tragédia que abalou a família toda.

Sônia Rodrigues, uma das organizadoras do grupo destacou sobre a importância da população, “meter a colher”, em assuntos abusivos e de violência, sim. “Este é o ponto em que a população precisa sim “meter a colher, nas brigas de marido e mulher”, para que o pior possa ser evitado e que todos se mobilizem. Este grupo busca parcerias com quem queira exterminar o problema e sem placas ou crenças estamos aqui na defesa das mulheres. o grupo não foi criado para assistencialismo e sim para debater temas importantes”, explicou Sônia.

FOTOS: JOÃO CARLOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *