Gerreiro nega entrevista para TV e MPE faz apelo para população ficar em casa

Na última segunda (4), o Ministério Público do Trabalho emitiu uma nota nota conjunta, MPT alertando a população de Três Lagoas quanto ao déficit de leitos e respiradores no sistema de saúde. No mesmo dia a TV MORENA, pediu uma entrevista com o prefeito da cidade, Ângelo Guerreiro que foi negada e dita no ar durante a 2º edição do jornal que o prefeito se negou a esclarecer ao vivo, a situação atual da cidade.

 

Por meio de nota pública o Ministério Público do Trabalho, o Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual frisaram que o sistema de saúde no Município de Três Lagoas ainda não está suficientemente preparado para enfrentar um surto elevado de Covid-19.

O sinal de alerta vem acompanhado de uma radiografia das atuais estruturas disponibilizadas pelo Poder Público para atender à microrregião, que abrange outros municípios além de Três Lagoas: são apenas 10 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e 27 leitos clínicos para Covid-19. Há também risco de escassez de equipamentos de proteção individual, em razão da alta demanda, e as equipes de saúde locais já estão com baixas consideráveis nos seus efetivos, devido à contaminação de profissionais que atuam na linha de frente contra a doença.

Na nota, as instituições esclarecem que os oito respiradores doados pela empresa Suzano não serão instalados nas próximas semanas, por questões técnicas de configuração e calibração que já estão sendo providenciadas pela empresa. Além disso, há previsão de que apenas 25 dos 40 respiradores adquiridos pelo Município sejam montados a partir do dia 25 de maio, ou seja, na melhor das hipóteses, somente a partir do mês de junho as UTIs serão ampliadas na cidade.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, as instituições têm fiscalizado todas as medidas de prevenção, controle e organização do sistema de saúde local, participando das reuniões do Comitê de Crise e das deliberações com autoridades de saúde, da assistência social e da educação, que se refletem na coesão de entendimentos e em iniciativas de proteção dos trabalhadores e da população.

Dos 10 óbitos em Mato Grosso do Sul contabilizados até esta segunda-feira (4), de acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde, três são pessoas residentes em Três Lagoas. O estado tem 274 casos confirmados da doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *