Justiça suspende demissão de assessora parlamentar dada por presidente da Casa de Leis

Na última sessão ordinária da Casa de Leis desta segunda-feira (2), em Três Lagoas o vereador Paulo Veron (Solidariedade), pediu explicações ao presidente Cassiano Maia (PSDB) por causa da demissão sem justa causa, nem aviso ou justificativa que motivasse com propriedade a demissão de sua chefe de Gabinete e assessora jurídica, Dilza dos Santos durante o período de recesso parlamentar foi subtamente mandada embora. A decisão pegou todos inclusive o vereador de surpresa.

Na noite desta quinta-feira (5), a Juíza Aline Beatriz de Oliveira determinou que a assessora retorne imediatamente ao cargo sob a pena diária de R$2.000,00 reais limitada a 30 dias.

O vereador em seu desabafo na tribuna deixou claro as mais “perversas”formas de perseguição que vem sofrendo e desabafou, pedindo esclarecimentos ao ocorrido no qual ele recorreu a Justiça e que prontamente comprovou que foi arbitrária a demissão dada pelo presidente da Casa de Leis e exigiu pronto retorno da funcionária do vereador Paulo Veron.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *