Três Lagoas decreta toque de recolher nesta segunda

Anuncio feito no meio da manhã desta segunda (23), traz de acordo com o documento, considerando as deliberações do Comitê, ficou estabelecido toque de recolher a partir de hoje (23) das 20h às 05h pelo prazo de 15 dias prorrogáveis por tempo indeterminado, proibindo a permanência de pessoas em logradouros públicos de Três Lagoas no horário compreendido.

O Secretário Geral Cassiano Rojas Maia, na oportunidade, esclareceu algumas dúvidas da imprensa e explicou que é obrigatório o confinamento domiciliar, não se aplicando o decreto em casos de deslocamento por questões de saúde, trabalho, serviços de entrega a domicílio (delivery), bem como outra circunstância relevante devidamente comprovada.

“A locomoção no horário em que vigorar o toque de recolher deverá ser realizada individualmente, competindo a autoridade fiscalizadora apreciar exceções”, explicou o secretário.

Ficou determinado também a suspensão da entrada de novos hóspedes (check-in) em hotéis, motéis, pousadas e similares, mantendo o funcionamento de seus serviços apenas aos usuários já instalados, devendo impedir o acesso destes a áreas internas que possibilitem aglomeração, academias e estabelecimentos similares e estabelecimentos que prestam serviços de cuidados pessoais tais como salões de beleza, centro de estética e congêneres.

A venda de álcool em gel ficou limitada a duas unidades de cada produto por CPF e uma unidade se a embalagem for acima de um litro.

O transporte individual de veículo automotor leve de aluguel, taxi ou motoristas credenciados em redes de compartilhamentos (aplicativos), durante situação de emergência, deverão limitar-se a dois passageiros por corrida; disponibilizar álcool em gel no interior dos veículos; os motoristas deverão usar máscara e deixar os vidros do veículo abertos exceto se estiver chovendo.

Postos de combustíveis, farmácias, supermercados, hipermercados, distribuidores de gás de cozinha e água mineral, serviços de comunicação e transmissão de dados, panificadoras, conveniências, clínicas veterinárias, petshops, casa de ração, agropecuárias e aquelas indispensáveis para atender a estrutura pública serão consideradas como atividades essenciais durante o estado de emergência, ficando, portanto, excetuado das restrições contidas neste artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *