Vereadores criticam SANESUL, mas empresa continua com cortes

Na última sessão da Casa de Leis em Três Lagoas os parlamentares voltaram a criticar a empesa Sanesul, que mantem os cortes mesmo estando fora da lei.

Eles cobraram sobre as informações sobre investimentos feitos pela Sanesul, no município, em razão do plano de metas, previsto em contrato de concessão celebrado entre a empresa e o município, desde a vigência do contrato até a presente data.

Através do documento, os vereadores pedem detalhes sobre os valores investidos, as obras realizadas, o quanto foi arrecadado e o percentual de unidades habitacionais abastecidas regularmente com água e saneamento básico.

Propositor do requerimento assinado por todos os parlamentares, o vereador Tonhão ressaltou que o acesso às informações é de suma importância. “Pedimos informações precisas sobre investimentos, obras realizadas”, frisou o vereador.

Ele ainda fez questão de se posicionar sobre alguns comentários negativos, feitos em redes sociais, sobre a votação dos vereadores, em 2010,  permitindo a concessão à empresa. “A gente sempre brigou por mais investimentos da Sanesul, por mais abastecimento de água, saneamento básico, assim por diante. O fato de ter votado lá, não quer dizer que eu não vá cobrar ou exigir repostas da Sanesul, no tocante à população”, frisou o vereador.

O líder do prefeito na Câmara, vereador Realino também fez questão de ressaltar a ação civil pública impetrada pela Prefeitura e afirmou que, ao ouvir uma entrevista do diretor da Sanesul, aumentou sua indignação com relação às ações da empresa, no município. “É zombar da  cara  da classe política. E, mais ainda, da nossa população, desrespeitando a legislação. Mas, acima de tudo, das pessoas mais carentes”. Ele ainda citou que o argumento sobre o aumento de 3,3% para Três Lagoas, índice diferente do que foi definido para outros municípios, não tem condições.

Também fazendo questão de falar sobre o assunto, o vereador apóstolo Ivanildo repudiou a forma como a Sanesul tem agido, desrespeitando inclusive a situação vivida agora, em meio a uma pandemia. Ele citou o caso de uma senhora, com uma única conta em atraso, tendo um bebê de 20 dias, que teve a água cortada. “Parece que a Sanesul está fazendo uma queda de braço, não leva em consideração a situação de vulnerabilidade e fragilidade que muitas famílias se encontram”, enfatizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *